Apoiando a Comunicação Suplementar e Alternativa com Tecnologia Computacional Tangível em Storyboard

Authors

  • Eliana Alves Moreira Instituto Federal de São Paulo http://orcid.org/0000-0002-0042-639X
  • Eliane de S. Ramos Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Maria Luisa P. Benedetti Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Maria do Carmo B. Bruschini Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Luciana Wolff Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Marisol R. P. de Oliveira Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • E. Paula Cavalcanti Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Catia de T. Bortolini Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • Leila A. D. Pinto Secretaria de Educação do Município de Amparo
  • M. Cecília C. Baranauskas Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.5753/rbie.2021.29.0.414

Abstract

A literatura acadêmica tem mostrado a importância do uso de tecnologias contemporâneas como auxílio em comunicação. Este trabalho propõe um sistema computacional para apoio à Comunicação Suplementar e Alternativa, usando interação tangível, na perspectiva do Design Universal. O desenvolvimento do sistema, alimentado por práticas participativas com profissionais de educação especial, tem permitido adequá-lo às necessidades dos estudantes que utilizam de tecnologia assistiva para se fazer comunicar nas salas de aulas inclusivas. A nova versão do sistema foi experimentada em estudo de caso com uma criança com necessidades complexas de comunicação. Resultados sugerem que o aluno demonstrou uma grande satisfação e motivação ao utilizar a nova versão do sistema. Desta forma, verifica-se que quando uma barreira é eliminada por meio de um sistema acessível o resultado é visível, confirmando que a barreira/deficiência está no ambiente e não na pessoa. Ambientes acessíveis possibilitam que as pessoas usufruam do mesmo direito à comunicação. Vale ressaltar que o acesso à comunicação favorece o desenvolvimento cognitivo e a inserção social de todos. Resultados do estudo de caso também mostraram a importância de práticas participativas para a construção de novas tecnologias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alessandrini, A., Cappelletti, A., & Zancanaro, M. (2014). Audio-augmented paper for therapy and educational intervention for children with autistic spectrum disorder. International Journal of Human Computer Studies, 72(4), 422–430. doi: 10.1016/j.ijhcs.2013.12.001

Amparo. (2016). Programa de Educação Inclusiva: “A educação tem muitas faces – Educando e aprendendo na diversidade” (pp. 1–10). Secretaria Municipal de Educação. Disponível em: [link]. Acessado em 12 mar. 2021.

ARASAAC. (2018). Portal Aragonês de Comunicação Aumentativa e Alternativa. Disponível em: [link]. Acessado em: 31 jan. 2015.

ASHA. (2016). American Speech-Language-Hearing Association. Disponível em: www.asha.org. Acessado em: 4 fev. 2016.

Baranauskas, M Cecília C, & Posada, J. E. G. (2017). Tangible and Shared Storytelling: Searching for the Social Dimension of Constructionism. Interaction Design and Children Conference, 193–203. Stanford, CA, USA. doi: 10.1145/3078072.3079743

Baranauskas, Maria Cecília Calani. (2013). O Modelo Semio-participativo de Design. In Codesign de Redes Digitais: Tecnologia e Educação a Serviço da Inclusão Social (pp. 38–66). Porto Alegre: Editora Penso.

Burton, S., & Matthewson, L. (2015). Targeted Construction Storyboards in Semantic Fieldwork. In M. R. Bochnak & L. Matthewson (Eds.), Methodologies in Semantic Fieldwork (pp. 135–156). Oxford University Press. doi: 10.1093/acprof:oso/9780190212339.003.0006

Casa Civil. Decreto No 6.949. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. (2009). Brasil. Disponível em: [link]. Acessado em 12 mar. 2021.

Casa Civil. Decreto No 7.611. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. (2011). Brasil. Disponível em: [link]. Acessado em 12 mar. 2021.

Chun, R. Y. S. (2009). Comunicação suplementar e/ou alternativa: abrangência e peculiaridades dos termos e conceitos em uso no Brasil. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, 21(1), 69–74. doi: 10.1590/S0104-56872009000100012

Garzotto, F., & Bordogna, M. (2010). Paper-based Multimedia Interaction as Learning Tool for Disabled Children. Interaction Design and Children Conference, 79–89. Barcelona, Spain. [GS Search]

Hengeveld, B., Hummels, C., Balkom, H. Van, Voort, R., & Moor, J. De. (2013). Wrapping Up LinguaBytes, For Now. International Conference on Tangible, Embedded and Embodied Interaction, 237–244. Barcelona, Spain. [GS Search]

Kensing, F., & Blomberg, J. (1998). Participatory Design: Issues and Concerns. Computer Supported Cooperative Work (CSCW), 7(3), 167–185. doi: 10.1023/A:1008689307411

Lanuti, J. E. de O. E., Baptista, M. I. S. D., & Ramos, E. de S. (2020). A diferença de Deleuze na pesquisa em educação: experiências dos pesquisadores do LEPED. Revista Ibero-Americana de Estudos Em Educação, 15(3), 1167–1180. doi: 10.21723/riaee.v15i3.12627

Mantoan, M. T. E. (2003). Inclusão escolar: O que é? Como fazer? São Paulo: Editora Moderna. [GS Search]

Mantoan, M. T. E. (2015). Diferenciar para incluir ou para excluir? Por uma pedagogia da diferença. Educação Inclusiva. Revista Da Pró Inclusão/Associação Nacional Dos Docentes de Educação Especial, 6, 11–14. [GS Search]

Mayer-Johnson Inc. (2002). Boardmaker. Solana Beach, California.

Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. (2007). Brasil. Disponível em: [link]. Acessado em 12 mar. 2021.

Moita, F., Henrique, L., Candido, V., & Medeiros, F. M. (2017). Design e desenvolvimento de um game assistivo para autistas. XXVIII Simpósio Brasileiro de Informática Na Educação, 1057–1066. doi: 10.5753/cbie.sbie.2017.1057

Moreira, E. A., & Baranauskas, M. C. C. (2016). Investigando processos de comunicação alternativa via tecnologia tangível: um estudo exploratório. XXVII Simpósio Brasileiro de Informática Na Educação, 856–865. doi: 10.5753/cbie.sbie.2016.856

Moreira, E. A., & Baranauskas, M. C. C. (2018). Experimentando e Delineando um Vocabulário para um Ambiente Tangível de Apoio à Comunicação Alternativa e Aumentativa. 17th Brazilian Symposium on Human Factors in Computing Systems. Belém, Pará. doi: 10.1145/3274192.3274216

Moreira, E. A., Ramos, E. D. S., Wolff, L., Bortolini, C. D. T., Benedetti, M. L. P., Oliveira, M. R. P. De, … Bruschini, M. do C. B. (2018). Explorando a Utilização de Storyboard em um Ambiente Tangível de Apoio à Comunicação Alternativa e Aumentativa. XXIX Simpósio Brasileiro de Informática Na Educação. Fortaleza, CE, Brasil. doi: 10.5753/cbie.sbie.2018.1083

Palacios, A. (2008). El modelo social de discapacidad: orígenes, caracterización y plasmación en la Convención Internacional sobre los Derechos de las Personas con Discapacidad. In Madrid Cinca. [GS Search]

Pandey, S., & Srivastava, S. (2011). SpellBound: A tangible spelling aid for the dyslexic child. ACM International Conference Proceeding Series, 101–104. doi: 10.1145/2407796.2407813

Sonza, A. P., Kade, A., Façanha, A., Resende, A. L. A., Nascimento, G. S. do, Rosito, M. C., … Fernandes, W. L. (2013). Acessibilidade e Tecnologia Assistiva - Pensando a inclusão sociodigital de pessoas com necessidades especiais. Bento Gonçalves, RS: Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica - SETEC/MEC. Disponível em: [link]. Acessado em 12 mar. 2021.

Story, M. F., Mueller, J. L., & Mace, R. L. (1998). The Universal Design File: Designing for People of All Ages and Abilities. Revised Edition. (5). [GS Search]

Tenor, A. C., & Deliberato, D. (2004). Estratégias de mediação para o conto e reconto de histórias para alunos surdos. Revista Educação Especial, 29(56), 681–694. doi: 10.5902/1984686X17172

Ullmer, B., & Ishii, H. (2000). Emerging frameworks for tangible user interfaces. IBM Systems Journal, 39(3.4), 915–931. doi: 10.1147/sj.393.0915

Arquivos adicionais

Published

2021-05-01

Como Citar

MOREIRA, E. A.; RAMOS, E. de S.; BENEDETTI, M. L. P.; BRUSCHINI, M. do C. B.; WOLFF, L.; OLIVEIRA, M. R. P. de; CAVALCANTI, E. P.; BORTOLINI, C. de T.; PINTO, L. A. D.; BARANAUSKAS, M. C. C. Apoiando a Comunicação Suplementar e Alternativa com Tecnologia Computacional Tangível em Storyboard . Revista Brasileira de Informática na Educação, [S. l.], v. 29, p. 414–439, 2021. DOI: 10.5753/rbie.2021.29.0.414. Disponível em: https://journals-sol.sbc.org.br/index.php/rbie/article/view/2980. Acesso em: 20 jul. 2024.

Issue

Section

Artigos